O maravilhoso mundo da tal da internet

Sou extremamente inventiva na cozinha e longe de ser uma daquelas que segue uma receita de cabo a rabo. Então muitas das vezes que bato-papo com a minha avó sobre o que andamos fazendo aqui no Me Gusta, ela me diz que nunca ouviu falar de tal receita. Já achando que eu estou inventando moda. Mas várias vezes, eu tenho a possíbilidade de dizer: É uma receita vó!  e ela returca: Nunca ouvi falar de uma receita assim. E lógico, eu dou corda: É da internet!  E ela finaliza: Ah, a internet!

Ela entende, mas não entende bem a tal da internet. Eu tento explicar que é como se fosse uma grande biblioteca, cheia de livros e revistas sobre os mais variados assuntos, mas eu acho que deve ser meio complicado de entender. A realidade é que EU não imagino a vida sem a facilidade de navegar e encontrar coisas que eu jamais teria conhecimento sem a tal da internet. Devia ser complicado no tempo dela.

Aqui não somos os mais experts em culinária brasileira (às vezes fico com medo de dar estas declarações se ser mal interpretada). É que a comida brasileira é um pouco mais pesada e meu estômago sempre foi um pouco intolerante. E lá em casa, sei lá porque, sempre tivemos uma alimentação mais leve.

Por conta disso, acaba que uma das culinárias que mais trabalhamos ao longo dos anos no Me Gusta é a mediterrânea. E a tal da internet sempre foi o pulo do gato para tirar uma dúvida ou outra, dar aquela pesquisada… Como uma coisa leva a outra coisa (Vocês vão descobrir por aqui que o meu pensamento funciona como uma estorinha, começa em uma coisa e termina em outra que parece não ter nada a ver com a primeira. rs. Mais tem! Eu juro!). Eu estava pesquisando comidas mediterrâneas e acabei caindo em um Blog super interessante de uma brasileira residente no Canadá, chamada Fernanda Guimarães Rosa, que cozinha, mas também retrata como são as coisas por lá. E é aí que eu quero chegar!  Em 2011 (eu sei que já tem tempo) ela foi no evento dos 40 anos do restaurante Chez Panisse no museu da UC Berkeley , e viu uma oficina liderada pelo icônico Steve Sullivan, o cara do Acme Bread, onde o moço fazia uns pães como EU nunca tinha visto na minha vida (aliás ainda não vi o pão, só vi a foto). Coisa mais linda do mundo! Forno de barro, feito pelo rapaz, onde o pão é iniciado a partir da fermentação da UVA. Dá para imaginar este pão? Mas não para por ai, a criatividade ali também esta em alta, porque os pães são feitos em latinhas!

Preciso dizer que agora eu quero fazer um forno de barro aqui no atelier e fazer pães em latinhas?

Aguardem e confiem! rs

bread_9 bread_7 bread_6 bread_12

Não é a cara do Me Gusta?

fonte: http://www.chucrutecomsalsicha.com/archives/2011/09/pao.html

Anúncios